Notícias

Alvenaria Estrutural, Brasília

Produtividade da alvenaria estrutural para MT e MS

A forte demanda do mercado junto com a escassez de mão de obra qualificada em alvenaria estrutural levou à realização em novembro, em Campo Grande (MS) e em Cuiabá (MT), das primeiras reuniões com construtoras e fabricantes de blocos de concretos desses Estados. Realizadas nas sedes dos respectivos Sinduscons, tiveram como meta a implementação do Programa de Desenvolvimento de Construtoras (PDC), com o módulo inicial de alvenaria estrutural, voltado para engenheiros e gestores de obras.

Estiveram presentes os representantes das construtoras MRV, PDG, CGR, Progemix, Egelte, Plaenge, entre outras construtoras locais junto com os principais fabricantes de blocos da região, tomaram parte dos encontros demonstrando interesse na efetivação do programa.

Em foco: (esq.p/dir.) Alonso Resende (vice-Presidente Sinduscon/MS e da FIEMS), Walter Radich (Superintendente Sinduscon-MS), Glécia (ABCP), Amarildo Miranda (Presidente Sinduscon/MS) e Anderson (ABCP)

Segundo Guaraci Campos (MRV), a alvenaria estrutural é a solução adotada pelas grandes construtoras que entraram no mercado local. “Temos a necessidade de buscar os conhecimentos técnicos para atendermos às expectativas das empresas, e executarmos obras de alvenaria estrutural dentro das técnicas corretas e com melhor qualidade” destacou.

A coordenadora Nacional da Comunidade da Construção, Glécia Vieira, mostrou em sua palestra um panorama geral da construção civil e como a alvenaria estrutural está inserida nela. Apresentou também todos os detalhes do programa, sua evolução e resultados nos estados onde foram implementados, como Paraná e Vale do Paraíba/SP. Os dois polos (MT e MS) demonstraram interesse na realização do curso de alvenaria já em 2012.

Segundo o representante da ABCP CO nos estados do MT e MS, Anderson Campos, este passo é fundamental para início da capacitação técnica nesta região. “O conceito da alvenaria estrutural chegou com as grandes construtoras, porém os fabricantes e a mão de obra ainda não estão preparados para atender com a melhor qualidade possível. Esperamos consolidar esse sistema construtivo”, afirmou Anderson.
 

Compartilhe essa notícia