Parede de Concreto

Materiais

Tipologias do concreto

O sistema Parede de Concreto requer que o concreto adotado tenha boa trabalhabilidade. Essa propriedade é fundamental para o preenchimento completo das fôrmas, sem segregações, e para o bom acabamento da superfície.

Quatro tipos de concreto são recomendados para o sistema Parede de Concreto. São eles:

• Concreto celular (Tipo L1)
O concreto celular tem como principais características a baixa massa específica e o bom desempenho térmico e acústico, pois inclui uma espuma que gera grande quantidade de bolhas. Devido à sua baixa resistência mecânica, é indicado para compor paredes de casas de até dois pavimentos sem laje de cobertura. Em edifícios, pode ser usado nas paredes do último pavimento, desde que também não suportem laje de cobertura.

• Concreto com alto teor de ar incorporado – até 9% (Tipo M)
Com características mecânicas e termoacústicas similares às do concreto celular, este concreto também é recomendado para paredes de casas com até dois pavimentos ou paredes do último andar de prédios sem laje de cobertura.

• Concreto com agregados leves ou com baixa massa específica (Tipo L2)
Preparado com agregados leves, tem bom desempenho térmico e acústico, mas levemente inferior ao desempenho dos concretos tipos L1 e M. Pode ser usado em qualquer estrutura que necessite de resistência de até 25 MPa. Apenas a argila expandida deve ser usada como agregado leve, pois outras opções não atingem a resistência necessária.

• Concreto convencional ou concreto auto-adensável (Tipo N)
O concreto auto-adensável possui dois atributos relevantes: sua aplicação é muito rápida, feita por bombeamento, e a mistura é extremamente plástica, dispensando o uso de vibradores. Observadas essas características, podemos considerá-lo uma ótima alternativa para o sistema Parede de Concreto. Em geral, o concreto auto-adensável usa aditivos superplastificantes adicionados na obra, os quais perdem o efeito aproximadamente 40 minutos após sua adição ao concreto. Evidentemente, é possível usar o concreto convencional, desde que este tenha uma trabalhabilidade adequada com o método de transporte, a espessura das paredes e lajes e que se evite segregações nas partes inferiores das fôrmas verticais.

Importante:
O engenheiro da obra deve especificar com que trabalhabilidade o concreto deverá ser aplicado e qual será o diâmetro máximo do agregado graúdo, considerando a espessura das paredes e a densidade da armadura.

Em função do ritmo da obra e das condições climáticas, também pode ser definido o tipo de cimento a ser usado.

Todos os tipos de concreto podem, caso necessário, receber tratamentos adicionais para combater eventuais fissuras ocasionadas pela retração plástica.

Considerando as características particulares do sistema Parede de Concreto, incluindo a rápida desforma, o projetista de estrutura, ao especificar o concreto, deve atentar para:

  • Resistência de desforma (fc 14 h ou conforme o ciclo)
  • Resistência característica aos 28 dias (fck)
  • Classe de agressividade a que as estruturas estarão sujeitas, conforme ABNT NBR 6118
  • Massa específica no estado fresco para os concretos tipos L1, L2 e M
  • Teor de ar incorporado para o concreto tipo M

Recebimento e aplicação do concreto

A concretagem e todas as ações precedentes são fundamentais para que estrutura executada corresponda ao projeto estrutural, garantindo assim a durabilidade e a qualidade desejadas. Observe algumas recomendações importantes nesta etapa:

1) Transporte
Um aspecto muito importante é o tempo de transporte decorrido entre o início da mistura, contado a partir da primeira adição de água, até a entrega do concreto na obra. Considere:

a) Esse tempo deve ser fixado de modo que o fim do adensamento não ocorra após o início de pega do concreto lançado e das camadas ou partes contíguas a essa remessa, evitando-se a formação de junta fria.

b) Esse tempo deve ser inferior a 90 minutos.
c) Esse tempo não deve ultrapassar a 150 minutos, considerando-se o fim da descarga.


Nota: No caso de concreto auto-adensável (Tipo N), este deve ser aplicado, no máximo, 40 minutos após a colocação do aditivo, o que geralmente é feito na obra.

2) Recebimento do concreto

  • Dados - Antes de iniciar a descarga do concreto, confira o documento de entrega, certificando-se de que a descrição do material corresponde ao que foi solicitado e se os dados da obra estão corretos. Confira o lacre da bica de descarga antes deste ser rompido. Não receba o concreto se houver alguma discordância.
     
  • Trabalhabilidade - Verifique se o concreto está com a consistência desejada e se não ultrapassou o abatimento (slump) ou o espalhamento (flow) limite especificado no documento de entrega. Caso o abatimento seja inferior ao indicado na nota fiscal, adicione água suplementar nos limites especificados pela ABNT NBR 7212/1984, ou seja, desde que:

a) O abatimento seja igual ou superior a 10 mm;

b) O abatimento seja corrigido em até 25 mm;

c) O abatimento, após a adição, não ultrapasse o limite máximo especificado;

d) O tempo entre a primeira adição de água aos materiais e o início da descarga seja superior a 15 minutos.


Espalhamento (flow)

3) Lançamento
O concreto deve ser lançado o mais próximo possível de sua posição final, evitando-se incrustações de argamassa nas paredes das fôrmas e nas armaduras. Devem ser tomadas precauções para manter a homogeneidade do concreto. Para peças estreitas e altas, o concreto deve ser lançado por janelas abertas na parte lateral, ou por meio de funis ou trombas.

4) Adensamento
Durante e imediatamente após o lançamento, o concreto deve ser vibrado com equipamento adequado para a trabalhabilidade. O adensamento deve ser cuidadoso, para que a mistura preencha todos os espaços da fôrma. Nessa operação, tome as precauções necessárias para impedir a formação de ninhos ou segregação dos materiais.

É importante evitar a vibração da armadura, para que não se formem vazios ao seu redor, com prejuízos da aderência. No adensamento manual, as camadas de concreto não devem exceder a 20 cm. Se a opção for usar vibradores de imersão, a espessura da camada deve ser, no máximo, aproximadamente igual a 3/4 do comprimento da agulha. Se não for possível atender a essa exigência, o vibrador de imersão não deverá ser empregado.

Estude a possibilidade de usar o concreto auto-adensável (Tipo N). A sua grande fluidez elimina a necessidade de vibração e a alta viscosidade evita a segregação dos materiais. O concreto celular (Tipo L1) também elimina a necessidade de vibração.