Estrutura de Concreto

Armação - decisões

Numa estrutura de concreto armado, o aço tem como função básica resistir aos esforços de tração. Isso ocorre pois o concreto não possui resistência à tração suficiente para absorver os esforços solicitantes de uma edificação. Nessa lógica, durante a realização do cálculo estrutural, as regiões sujeitas aos esforços de tração devem ser armadas. Por exemplo, no caso de lajes simplesmente apoiadas, sob a ação de cargas verticais dirigidas de cima para baixo, a armadura deve ser colocada na face inferior da laje.

O trabalho solidário do concreto com o aço é possível graças às compatibilidades física e química que ocorrem entre os dois materiais:
• Compatibilidade física - o aço e o concreto possuem deformações próximas durante as variações térmicas.
• Compatibilidade química - o aço não se corrói com o ambiente alcalino do concreto.

Além disso, para que o concreto e o aço trabalhem solidariamente, resistindo aos esforços a que são submetidos, deve haver uma aderência entre os dois materiais. Essa aderência é garantida através de ligação mecânica, propiciada pela rugosidade das barras de aço e também pela introdução de mossas e saliências na superfície das barras.

Durante a execução, deve-se tomar o cuidado para que as armaduras sejam totalmente cobertas pelo concreto, para evitar a corrosão do aço.

No serviço de armação de pilares e vigas, a principal decisão a ser tomada é: A armadura será cortada e / ou dobrada na obra?

Para responder a ela, analise:

  Aço em barras Aço beneficiado
Precisão dimensional das peças Médio Alta
Área de estocagem de material  Grande Baixa
Perdas de material  Variável  Zero
Produtividade  Pequena  Alta
Versatilidade  Alta  Baixa

 

Para a execução de lajes, a questão chave é: O aço será em barras ou em telas?

Analise:

  Aço em barras  Aço em telas
Precisão dimensional do posicionamento  Pequena Alta
Área de estocagem de material  Grande Média
Facilidade na execução  Média Alta
Velocidade na execução  Baixa Alta

 

Percebemos que, para a execução da armação, a escolha estratégica está relacionada ao tipo de fornecimento. Em função do cruzamento das variáveis, cada obra optará pelo sistema de armadura mais adequado à sua realidade. Cada sistema possui suas peculiaridades, sendo que, para cada solução adotada, o tempo entre o pedido do material e o seu recebimento é diferente. Além disso, as etapas inerentes em cada processo são distintas, sendo importante considerar todos esses fatores durante o planejamento do serviço.

Para explorar o potencial de racionalização que o serviço oferece, a sua capacidade de planejamento e programação das atividades é muito importante. Paralelamente, deve ser considerada a sua capacidade de negociação com o fornecedor, que deve ser realizada de modo que seja assegurado e respeitado o prazo de entrega do material.