Estrutura de Concreto

Fôrmas - custos

A fim de entendermos o posicionamento do item fôrmas na composição de custos de uma obra, tomaremos como base uma obra hipotética com os seguintes dados gerais:
• Edifício residencial com estrutura vigada (otimizada)
• 4 apartamentos por andar, 12 andares tipo, 2 subsolos
• Área de projeção de laje tipo = 500 m2
• Área de fôrmas do pavimento tipo = 1.100 m2
• Volume de concreto do pavimento tipo = 80 m3
• Armação do pavimento tipo = 8 ton (100kg/m3)
• Área construída (estrutura) total = 10.000 m2
• Área de fôrmas total = 23.500 m2
• Volume de concreto total = 1.650 m3
• Armação total = 165 ton

O material fôrma representa menos de 10% do custo da estrutura, ficando abaixo dos materiais concreto e aço. Em contrapartida, a mão de obra envolvida diretamente na atividade de montagem e desmontagem das fôrmas ultrapassa todas as demais atividades, tornando-se o maior custo existente na execução de estruturas e posicionando-se como o maior candidato a receber a nossa atenção quando o assunto é gerenciamento de custos do empreendimento.

Citamos que a mão de obra está envolvida com a montagem e a desmontagem das fôrmas. Omitimos propositalmente a mão de obra necessária para a fabricação destas, pois o tempo gasto para fabricar as fôrmas é inexpressivo quando comparado com o tempo gasto na sua utilização.

Se desmembrarmos os 24% do item mão de obra de fôrmas teríamos algo próximo de:
• Fabricação = 2%
• Montagem = 12%
• Desforma = 6%
• Transporte = 2%
• Reformas e ajustes = 2%