Revestimento de Argamassa

Revestimentos internos

Os revestimentos internos, sejam o contrapiso ou a argamassa em paredes, em princípio, estão sujeitos a menores solicitações que os panos de fachada expostos às intempéries. Assim, é pouco usual um projeto específico nestes casos, salvo em termos de definição de espessuras e de alguns traços quando as argamassas são viradas em obra.

Para os contrapisos, o projeto deve contemplar a espessura mínima, os desníveis entre ambientes, bits e soleiras de portas, caimentos para ralos, tipo de acabamento e, em caso de presença de mantas acústicas, detalhes construtivos e reforços metálicos a serem inseridos na argamassa.

De maneira geral, a argamassa é do tipo farofa com traço entre 1:4 e 1:5 (cimento:areia), embora já estejam disponíveis no mercado produtos autonivelantes.

Para os revestimentos de paredes, o tipo de acabamento superficial é importante, pois pode variar em função da aplicação de placas cerâmicas ou simples pintura. Ademais, espessuras mínimas em pontos localizados, como fundos de quadros de luz e passagem de tubulações, precisam ser definidas, bem como a espessura de massa nas paredes com portas, evitando problemas posteriores com a espessura dos batentes. Em alguns casos, também, podem ser inseridas telas de reforço na interface alvenaria/estrutura, com o objetivo de atenuar o surgimento de fissuras por movimentação diferencial.

Projeto